Me Siga

O "Patinho Feio" e a Copa do Mundo

Júlio Martins

Publicado

Bom, sem comentários a respeito dos prognósticos sobre o jogo do Grêmio. As coisas seriam mais fáceis se o Autuori (e a maioria dos treinadores em geral) não tivesse aqueles momentos de gênio que ninguém compreende. Por pouco, e com uma bela dose de sorte, o Grêmio não perdeu a tão falada invencibilidade no Olímpico. Mas os sinais estão aí. Time que não ganha fora e deixa de vencer em casa se complica. Nesse caso, jogo sem vitória fora na próxima rodada aumenta a pressão e nova derrota significa um adeus definitivo às pretensões de Libertadores. A Sul-Americana é o destino. Mas o post desse início de domingo não é pra "homenagear" o Autuori. O "Patinho Feio" do título se refere ao atacante escolhido pelo treinador, mais pela falta de outras opções do que que por opção mesmo. A realidade Tricolor é essa mesmo. Ser campeão brasileiro dependendo dos gols de Jonas? Complicado né? Mas é assim que o time da Azenha vai sobrevivendo. O "Patinho Feio" do Olímpico já marcou 11 vezes neste campeonato, muitas delas em momentos cruciais como ontem, diante do Vitória. Não fosse a sorte do azarado Jonas e o Tricolor hoje estaria juntando cacos e dando mais explicações. O empate amenizou a confusão que viria pra cima do Autuori. Muito pela ponta da chuteira do desajeitado Jonas, que está muito longe de ser craque, mas que tem sido uma espécie de "solução caseira" na falta de contratados de pesos ou dos reforços de nível que nunca chegam. Até quando isso vai dar certo? Até quando o Autuori vai ter o pescoço salvo pelo Jonas? Eu não colocaria meu emprego na mão de alguém tão sem sorte. Ontem ela até esteve do lado dele, amanhã talvez, mas até quando isso vai durar. Assim como o Patinho Feio da história, uma hora a ficha cai e Jonas volta a ser o Jonas que todos conhecem.

A Copa do Mundo de 2010 está aí, batendo à nossa porta. A África do Sul vai ser o centro das atenções e nós brasileiros já podemos preparando os passaportes, pelo menos aqueles que pretendem estar lá, como a Seleção Brasileira, por exemplo. O grupo comandado pelo antes contestado Dunga hoje é quase unanimidade (quase, porque isso nunca será) e já está lá, confirmado para mais uma Copa do Mundo. O Brasil, único país do mundo que nunca deixou de participar de uma Copa sequer, carimbou seu passaporte como todo brasileiro sonha: ganhando da Argentina, na casa deles. Melhor impossível! De forma inteligente (um pouco medrosa demais em alguns momentos, mas tudo bem) a Seleção passou por um dos confrontos mais complicados da história do nosso futebol. Méritos de um treinador que aos poucos mostra o comando que teve dentro de campo enquando foi capitão e guerreiro, mesmo em momentos complicados como a Copa de 90. Nós estamos lá! Estamos na Copa! E os "hermanos" podem ter que passar pela repescagem pra chegar lá... Ah, alguém viu o Tecez por aí?

À tarde eu volto pra dar um "pitaco" sobre o jogo do Inter...

Destaques

© 2020 - Júlio Martins