Me Siga

O que esperar do Tricolor?

Júlio Martins

Publicado

Ontem escrevi sobre a janela de transferências e suas consequências e ressaltei que o Grêmio não perdeu ninguém, ainda que houvessem especulações sobre Victor, Réver, Maxi. Além de não ceder às tentações, o Tricolor também tratou de se reforçar para, primeiro, vencer fora de casa, depois brigar por Libertadores e até pelo título. Mesmo que o atacante necessário não tenha vindo (dá pra fazer uma limonada de Jonas, Herrera e Perea), as chegadas de Rochemback e Lúcio vão dar uma consistência e tanto ao sistema defensivo e na saída com qualidade. Mesmo que Túlio tenha menos qualidade que Mário Fernandes, ele na ala pode comprometer menos. Mas o que fica dessa "nova cara" Tricolor é a montagem de um time altamente competitivo para a próxima temporada. Mais habituado ao "estilo Autuori" de jogar, o time, caso venha a disputar a Libertadores, vai incomodar muita gente e passa a ser candidato até ao título da América. Lógico que janeiro pode rimar com a saída de vários jogadores, mas a base forte e os recém contratatos estarão à disposição. Analisem comigo. Vejam se não tenho razão sobre a força do grupo, mesmo que alguns jogadores possam deixar o clube.

Victor, (um lateral direito de verdade que ainda falta), Léo, Réver, Lúcio, Adilson, Rochemback, Souza, Douglas Costa, Herrera e Maxi. Notaram que deixei Tcheco de fora né? Fiz isso porque acredito que no final da temporada ele se aposenta. Se permanecer, pode ficar ali, na vaga que "dei" a Douglas Costa. Agora vamos ao banco: Grohe, Rafael Marques, Thiego, Mário Fernandes (que tem tudo pra ser titular absoluto na próxima temporada), Bruno Colaço, William Magrão, Maylson, Mithyuê, Jonas, Perea e, claro, mais um atacante com faro de gol.

Então, é ou não é uma base forte e capaz de fazer uma ótima temporada? O melhor de tudo para o torcedor gremista é que esse grupo já está (salvo alguns jogadores que estão voltando de lesão). Ainda restam 16 rodadas do Brasileirão para os pupilos de Autuori mostrarem seu potencial. Caso contrário, a contragosto do torcedor, fica pra 2010. Aí sim, ou faz a coisa acontecer ou manda todo mundo embora e começa do zero.

Destaques

© 2020 - Júlio Martins