Me Siga

"Ufa! A janela fechou!"

Júlio Martins

Publicado

Conforme prometido durante o dia lá no Twitter, aqui vai a minha análise sobre a tão comentada "janela de transferências" que, normalmente, empobrece em vários sentidos o futebol nacional. Creio, resumidamente falando, que em comparação com outras temporadas esta foi a mais amena "tempestade" provocada pelos euros, dólares, libras esterlinas e eticéteras. Li muitos artigos e matérias a respeito pra ver se eu realmente estou no caminho certo e, acreditem, conclui que estou sim. Em temporadas anteriores o mês de agosto causou danos incalculáveis em algumas equipes. Desta feita não, a maioria dos clubes conseguiu segurar seus jogadores mais importantes. Alguns até se deram ao luxo de trazer nomes de peso do exterior, caso do Palmeiras, que segurou jogadores que formam sua "espinha dorsal" e ainda repatriou Wagner Love, fortalecendo-se como candidatíssimo ao título. O Brasileirão 2009 vai terminar com Ronaldo, Wagner Love, Fred, Adriano e outros craques que regressaram, alguns antes mesmo da abertura da janela. É possível, sim, que a "janela" de janeiro venha como um verdadeiro furacão, "levando tudo por diante" - como dizemos lá na Fronteira - mas até lá os clubes brasileiros já estarão preparados para perdê-los e fazer a reposição, se não à altura, pelo menos próximo disso (espera-se que assim seja). Com essas recusas, por mais que isso custe muito aos cofres de alguns clubes, quem ganha é o Brasileirão, que normalmente terminava enfraquecido. As rodadas que ainda restam terão acréscimos importantes como o de Love, Edu, Lúcio, Rockemback e outras contratações que agregam muito valor a equipes já formadas. Sinal de que nossos clubes aprenderam a lidar melhor com a volúpia estrangeira, mesmo que o "estouro" venha ali na frente. Em dezembro vamos poder avaliar melhor os prejuízos causados, mas, por enquanto só podemos dizer aquele "ufa, a janela fechou".

PS.: E sempre cabe um "PS", a grande perda do futebol brasileiro (leia-se o Internacional, mais especificamente) foi Nilmar. Jogador de Seleção Brasileira, vivendo grande momento e que poderia contribuir como poucos para a manutenção da qualidade do Brasileirão. Alecsandro e Edu não valem um Nilmar, mesmo em seus melhores momentos. E pra fechar, um último palpite: o bom time que o Grêmio apresentará em campo nos próximos meses, se desmancha em dezembro. Victor, Réver, Maxi e quem sabe até Jonas partem para restabelecer a vida financeira do Tricolor.

Destaques

© 2020 - Júlio Martins