Me Siga

Variações sobre muitos temas

Júlio Martins

Publicado

Como postei no Twitter mais cedo, anotei no bloco amigo que fica aqui do lado do micro pelo menos 3 temas que são prioridade nesse momento. Não vou revelar o conteúdo dos 2 que ficaram pra depois (charminho pra obrigar você a voltar mais tarde, lógico!), porém posso adiantar que são interessantes e deveras relevantes - pelo menos pra mim -. Não que as postagens a partir deste tema tenham algum tipo de preferência, não, é apenas o momento. Neste, me sinto mais à vontade para falar de algo que me aconteceu, de forma surpreendente até, mas que me deixou muito feliz...

Na metade da semana passada recebi uma ligação do colega de profissão, vizinho e amigo Cláudio Flain, o "homem forte" da Rádio Bento. Era um convite pra retornar à RSCom (como já contei em "Se eu mudar, o mundo muda!"). Desta vez o desafio era totalmente diferente: comunicar numa rádio popular (uma das mais populares da Serra), para um público 360 graus diferente do último para o qual falei (de verdade) no rádio. A possibilidade de voltar a fazer futebol (hoje narro meu primeiro jogo de futebol em "dobradinha com o Flain) também pesou muito, além de fatores "extra-campo" que conto mais adiante - bem mais adiante -.

Ontem foi primeiro dia diante de um público absolutamente desconhecido pra mim e, acreditem, saiu tudo "melhor que a encomenda". Como eu sempre digo, seja qual for a tarefa a mim atribuída, se eu estiver de acordo vou dar o melhor pra fazer sempre o melhor. Fazendo um balanço geral depois de 4 horas intensas no ar, acredito que o produto final ficou a contento, como diriam os comentaristas mais antigos. A emissora tem uma coisa que sempre me apaixonou no rádio: a proximidade ouvinte-locutor. Isso faz um bem tão grande à saúde que vocês não podem imaginar. Uma verdadeira injeção de ânimo (não que eu estivesse sem ele), uma espécie de gás extra para novos desafios que eu sei que virão. Me senti como nos bons tempos de rádio Santiago - quando eu pedia pro telefone tocar e ele tocava na mesma hora - ou nos bons tempos da Grande SP3, onde a resposta vinha tão imediata que as vezes até me chocava.

Buenas, é isso! Passei pra compartilhar com todos essa sensação boa que senti e recomendo um "choque" assim de vez em quando pra gente lembrar o quanto é bom fazer rádio.

Destaques

© 2020 - Júlio Martins