Me Siga

Ano novo... de novo

Júlio Martins

Publicado

A cada 365 dias (as vezes 366) comemoramos um novo ano, fazemos algumas promessas, traçamos alguns objetivos e arregaçamos as mangas para "lidar" na "nova temporada" que chega. Normalmente no final do ano fazemos uma espécie de balanço, de retrospectiva, de auto-avaliação, essas coisas. Claro que fiz tudo isso, mas não vou tratar o ano novo como um desafio e apontar meus objetivos (pelo menos não neste post). Estou aqui hoje pra me forçar (e forçá-los) a voltar um pouco no tempo. Sim, viajar um pouco e lembrar o que pensávamos 20, 25 anos atrás, quando chegar ao ano 2000 era o desafio. Alguém aí se lembra de ter pensado algo do tipo "o que vou estar fazendo em 2010"? Sinceramente!? Não lembro. Mas lembro-me com perfeição das contas que fazia lá pela metade da década de 80, talvez até mesmo no início dos anos 90, quando calculava quantos anos teria no ano 2000, que sempre foi a grande referência da minha geração e algumas gerações anteriores. Lembro bem que naquele tempo, se alguém devia algo a outra pessoa, normalmente dizia: "Te pago no ano 2000". Pois 2000 veio e hoje faz parte de um passado quase que distante. E nesse momento, qual será o próximo "ano 2000" pra você? Taí uma boa pergunta. Não sei direito qual é a minha próxima "data marcante". Talvez 2012, ano em que alguns garantem de forma ferrenha que o mundo vai acabar. Não, não é essa não... Quem sabe o ano em que completarei 50 anos (e espero chegar lá cheio de vitalidade). Pelas minhas contas - e nem precisa ser gênio pra isso - esse ano será 2025. Boa! Que tal isso!? Que tal exercitarmos nossa calculadora, chegar no ano exato em que completaremos 50 anos e o que pretendemos estar fazendo da vida no dia de nosso aniversário número 50? Vou fazer isso e conto pra vocês em outras postagens. Enquanto isso, gostaria muito que vocês fizessem esse exercício e deixassem o resultado nos comentários... Que tal?

Bom primeiro dia (segundo, terceiro, quarto e todos mais) de 2010 a todos. Esse ano vai ser, como diria a Ieda, do balacobaco!!!

Destaques

© 2020 - Júlio Martins