Me Siga

Guto Ferreira é o técnico que o Inter precisa

Júlio Martins

Publicado


A queda de Antônio Carlos Zago era anunciada há tempos. Se não tivesse se recuperado após uma desastrosa primeira fase do Gauchão ele já teria ido embora há tempos. Ganhou uma sobrevida e um voto de confiança da direção até um limite estipulado por quem comanda o Inter. Zago cavou sua sepultura por apostar em sua convicção a tal ponto que de tão convicto ele se tornou arrogante. Tem potencial para ser um bem sucedido no mercado brasileiro, mas somente se aprender com os erros que cometeu no Colorado.

Acredito que o perfil procurado pela direção colorada hoje passa longe de nomes "consagrados" como Marcelo Oliveira, Luxa ou Levir Culpi, que têm bom histórico de resultados, mas também acumulam desavenças internas nos clubes por onde passaram. Por isso aposto em Guto Ferreira, atualmente no comando do Bahia.

Guto conhece o clube porque foi formado nele e trocaria a Série A pela B pela clara possibilidade de entrar para a história do Inter como o técnico que recolocou o clube na elite do futebol brasileiro. Além disso, Guto é barato, inteligente e tem a cara da nova geração de técnicos na qual o Colorado pretende continuar apostando. Mostrou bom trabalho com um elenco mediano do Bahia na Série A e tem condições de fazer o mesmo com um elenco muito melhor numa Série B.

Se apostar em um nome de peso o Inter corre o risco de se complicar ainda mais gerando crises entre comissão técnica e jogadores ou desencontros com o pensamento da direção. Se tiver coerência, anuncia Guto e investe no trabalho deste profissional que será capaz inclusive de melhorar o aproveitamento de atletas oriundos da base.


Destaques

© 2020 - Júlio Martins