Me Siga

O respiro que Odair precisava

Publicado

Não foi uma atuação de gala. A escalação também não foi aquela que o torcedor gostaria, mas a vitória contra o Juventude, na Serra, veio em excelente hora e dá a Odair o respiro que ele precisava para seguir a busca pela formação ideal para a estreia do Inter na Libertadores, dia 6 de março. Além disso os três pontos permitem que o Inter possa continuar fazendo seus testes em uma posição na tabela que condiz mais com a sua realidade de multicampeão gaúcho.

Mas a vitória no Jaconi pode ter dado algumas respostas ao técnico. Basta que ele não feche os olhos para situações gritantes, como a entrada de Pedro Lucas no ataque. Não somente pela falta de resultados de Tréllez, não simplesmente por ser ele oriundo da base, mas pelo simples fato de que com o garoto no ataque o Inter fica mais próxima da formação que conquistou o terceiro lugar no Brasileirão e a vaga direta na Libertadores.

Outra situação criada pelo próprio Odair e testada com êxito até a expulsão foi a entrada de Nico López na vaga de D’Alessandro. Já não é de hoje que o uruguaio vem desempenhando a função satisfatoriamente, mas o cartão vermelho impede que ele tenha sequência no espaço ocupado pelo antes incontestável camisa 10. É nítido que o time fica mais rápido sem o argentino, mas por hora, ao menos na cabeça de Odair, só Nico é opção.

Em resumo, com Nico aprovando no meio, Pedro Lucas no ataque, Neilton e Pottker dando boas respostas pelos lados, mais do que confirmar Patrick, Tréllez e D’Ale no banco, o Inter começa a fechar seu time base praticamente espelhado no exitoso formato de 2018. Não dá pra dizer que isso garantirá bons resultados a médio e longo prazo, nem que virão títulos, mas entendo que na mente do técnico isso é (e é) meio caminho andado.

Santa vitória no Jaconi!

Vitória para respirar e acertar o time. Foto: Ricardo Duarte/Inter

Destaques

© 2019 - Júlio Martins