Me Siga

PRF divulga nota de repúdio à série "O Mecanismo", da Netflix

Júlio Martins

Publicado

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgou nesta segunda-feira (13) uma nota de repúdio à forma "caluniosa e difamatória" como foi retratada na segunda temporada da série "O Mecanismo", da Netflix. Leia a nota na íntegra: "A Polícia Rodoviária Federal, órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, responsável pelo policiamento de mais de 70 mil quilômetros de rodovias em todo país e composta por cerca de dez mil policiais rodoviários federais, repudia a forma com que foi retratada na segunda temporada da série O Mecanismo. As cenas exibidas caluniam e difamam, maculando a imagem institucional e de cada policial rodoviário federal, que honradamente atua, diariamente, na promoção da segurança viária e no combate ao crime, contribuindo, em cada um dos 27 estados da federação, para a construção de um país mais seguro e justo, com especial destaque para o fato de que a PRF é referência no combate aos crimes transfronteiriços de contrabando e descaminho, sendo a instituição que apreendeu em 2017 mais de 93 milhões de maços de cigarro e mais de 107 milhões em 2018. O sentimento de indignação, diante de tamanha irresponsabilidade, desrespeito e ignorância protagonizada por parte dos promotores do seriado em questão, é sentimento comum de cada policial rodoviário federal. Ademais, lamentamos e informamos que, além do fato de imputar ao órgão condutas antagônicas aos seus valores institucionais, os responsáveis pelo programa não solicitaram e não possuem autorização para o uso dos símbolos institucionais da Polícia Rodoviária Federal, que são símbolos de uso exclusivo, sendo vedada a sua fabricação, reprodução, ou uso sem a autorização formal do Diretor-Geral da PRF. Assim, informamos que as tratativas necessárias para a provocação judicial dos responsáveis já foram iniciadas, pois a PRF não ficará inerte perante tamanho desacato, travestido de uma suposta licença poética que desrespeita a todos os seus integrantes e à sociedade."

Destaques

© 2020 - Júlio Martins