Me Siga

Opinião: empresário, você vai quebrar? Por Luís Augusto Camargo

Júlio Martins

Publicado

Em tempos de pandemia a rede social nos traz um volume gigantesco de informação. É gente defendendo o governo, falando mal dele, criticando essa postura ou aquela, enfim, uma loucura. Em tempos de crise, com o comércio parado em função do isolamento social proposto por medidas do Executivo é raro ver um empresário se posicionar publicamente contrário ao fechamento ou não pressionar o prefeito para liberar o retorno das atividades.

Por esse motivo o artigo publicado pelo jovem Luís Augusto Camargo, Engenheiro Agrônomo e empresário na Mundo Vivo Floricultura e Agropecuária, me chamou atenção. Tanto que pedi autorização a ele para publicar no site. Na contramão da maioria, ele faz uma leitura consciente. Vale a pena ler!

EMPRESÁRIO, VOCÊ VAI QUEBRAR?
Nos últimos dias, a preocupação do “empresariado” tem aumentado bastante, quanto a economia do país, talvez por sobra de tempo em casa e postagens prontas que circulam nas redes sociais, que os atrai.

Com esse tempo ocioso, que fico em casa, tenho utilizado para estudar, pois toda a crise é passageira, quem está mais preparado para enfrentar ela, sai mais forte sempre.

Mas vamos lá, nos últimos 10 anos a economia brasileira teve bastante oscilação, registrando crescimento de 7,5% em 2010, recessões de 3,55% e 3,31% nos anos de 2015 e 2016, nos últimos 3 anos o crescimento em torno de 1% ao ano(fonte: IBGE). Para 2020 a projeção de crescimento que era cerca de 2%, agora foi zerada.

Eu trouxe estes números para materializar a minha concepção sobre o que está ocorrendo, você empresário, onde estava em 2010? Em 2015 e 2016 você quebrou?
Anos de crescimento, servem para as empresas construírem bases sólidas, criarem caixa, agora se você investiu errado, se estava “sobrando” resolveu trocar de carro ou viajar, você vai quebrar por sua ineficiência de gestão, não porque o povo vai ficar em casa.

Crises são sempre passageiras, algumas empresas vão crescer com ela, outras ficarão estagnadas e outras irão realmente quebrar, isso tudo é reflexo da administração de médio e longo prazo.

Alguns impostos e financiamentos foram prorrogados, outros vão chegar, folha de pagamento, aluguel, água, energia elétrica... todas as obrigações mensais, se você está com receio disso tudo por causa de alguns dias fechado, o mercado já estava te quebrando e você não tinha percebido ou não queria. Sou empresário, não sou do grupo de risco e conforme o Decreto Municipal N°022/2020, poderíamos permanecer de portas abertas, mas optamos por fechar, por entendermos que este é o momento de ficarmos em casa e cuidar do próximo, pois logo tudo isso passa e poderemos estar em harmonia, então #FIQUEEMCASA.


Luís Augusto Camargo - Engenheiro agrônomo e Empresário

Destaques

© 2020 - Júlio Martins