Cotidianas: sessão da Câmara teve vereador afastado e microfone cortado

Cotidianas: sessão da Câmara teve vereador afastado e microfone cortado

Hoje à tarde, enquanto cumpria algumas tarefas de rua, acompanhava a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Santiago, que é transmitida através do site do parlamento e mesmo de longe deu pra perceber que o clima estava quente.

Mas antes de falar sobre a parte mais tensa nos microfones, a primeira notícia que ouvi, logo na abertura, quando são lidas as correspondências, foi de que o vereador Nelson Abreu, do PDT, ficará afastado das funções por 180 dias, ou seja, seis meses. O atestado enviado pelo doutor Sales já era esperado desde que Nelson sofreu mais um AVC, em outubro do ano passado. Depois de um período afastado, ele retornou, mas era visível que estava bastante debilitado. Em 2009 o vereador esteve internado por meses e ficou com algumas sequelas de um outro acidente vascular cerebral.

Dentro de alguns dias seu suplente, Montano Borges, será chamado para assumir o cargo durante o período. Essa será a segunda vez que Montano assume a vaga de Nelson, que cumpre seu nono mandato consecutivo no legislativo santiaguense.

Sobre o microfone cortado, confesso que não acompanhei a sessão anterior, mas logo no primeiro momento da reunião de hoje o presidente da casa, Dionathan Farias, leu um artigo do regimento interno que trata de “pessoalização” e deixou claro que se alguém tomasse essa linha teria sua fala interrompida e que a sessão poderia ser suspensa até que as coisas voltassem aos eixos. Não se chegou a esse ponto, mas o vereador Gildo não concluiu seu tempo de tribuna. Antes disso, após uma breve discussão com o colega presidente, teve o som do microfone cortado e sua fala interrompida. Mais tarde ele voltou a usar o microfone, porém em tom mais leve, utilizou todo o tempo destinado à liderança do partido.

A íntegra da sessão deve estar disponível no site da Câmara amanhã, ainda pela manhã, NESTE LINK.

Leave a Reply